sexta-feira, 15 de junho de 2012

Professor Peter Schröder lança coletânea sobre os índios Fulni-ô


Professor Peter Schröder lança coletânea sobre os índios Fulni-ô

 

Acontece próxima terça-feira (19), no auditório da Livraria Cultura, às 19h, o lançamento da coletânea "Cultura, identidade e território no Nordeste indígena: os Fulni-ô", organizada pelo professor Peter Schröder. O livro, publicado pela Editora Universitária, é o primeiro número da Série Antropologia e Etnicidade.

Foram reunidos estudos sobre os índios da tribo Fulni-ô, localizados no agreste pernambucano, em artigos que tratam principalmente de questões relacionadas ao território indígena, às condições de vida e à cultura Fulni-ô, que ainda conserva língua e hábitos singulares.

Peter Schröder é professor do Departamento de Antropologia e Museologia (DAM) e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da UFPE. Realizou pesquisas com vários povos indígenas na Amazônia e no Nordeste, além de ter publicado diversos trabalhos, em português e alemão, sobre etnologia indígena e políticas de desenvolvimento, como economia indígena.

Mais informações
Peter Schröder
(81) 2126.8286
pschroder@uol.com.br


 

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Religiosidade e Etnobotânica africanas

Religiosidade e etnobotânica africanas são tema de evento em Caruaru

 

O Centro Acadêmico do Agreste (CAA), em Caruaru, sedia o evento "Religiosidade e etnobotânica na Diáspora Africana: memória e identidade", na segunda-feira (18), às 17h, no auditório do CAA. O evento contará com palestra do antropólogo e etnobotânico John Rashford, do College of Charleston, na Carolina do Sul, Estados Unidos (EUA), e membro da Sociedade de Economia Botânica dos Estados Unidos. As inscrições são presenciais e podem ser realizadas no dia do evento, gratuitamente.

John Rashford abordará o tema "As razões para a dispersão, pelo ser humano, do baobá africano no continente americano" (The reasons for the human dispersal of the african baobad in the Americas). A palestra contará com tradução simultânea da gerente de intercâmbio da Assessoria Internacional da Universidade Federal da Bahia, Cláudia Barreto.

A programação também conta com palestra do especialista em Turismo e Patrimônio Fernando Batista, com o tema "De Pernambuco à Bahia, do político ao religioso: faces do baobá na diáspora africana". O evento, cuja carga horária é de 4 horas, tem coordenação de Fernando Batista e vice-coordenação das professoras da UFPE Fátima Aparecida Silva e Tatiane Cosentino Rodrigues. A realização é da Pró-Reitoria de Extensão (Proext) e do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros (Neab) da UFPE, com apoio do CAA.

A UFPE disponibilizará um ônibus para o transporte Recife-Caruaru-Recife, no dia do evento. A saída será às 14h30, na Reitoria. Os interessados devem enviar e-mail, antecipadamente, para neab.ufpe@gmail.com, indicando nome completo, identidade, CPF e telefone. Haverá 29 vagas, com prioridade para os membros do Neab/UFPE.

VISITA – O antropólogo John Rashford visitará, na terça-feira (19), a Escola Estadual Mariano Teixeira, no Recife, em comemoração ao Dia do Baobá. O convidado será recepcionado por uma exposição organizada pelos alunos.

Projeto Residências Artísticas




 

 

RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS

 

 

 

O Edital do Projeto Residências Artísticas 2012 convoca artistas a submeterem suas propostas entre 19 de junho e 19 de julho de 2012. Uma comissão de especialistas em artes visuais selecionará até seis das propostas inscritas. Três das residências serão realizadas na Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), no Recife – PE, e outras três no Centro Cultural do Banco do Nordeste (CCBNB), em Fortale za – CE.

O Projeto Residências Artísticas 2012 é destinado a artistas visuais brasileiros e estrangeiros residentes no Brasil, desde que não tenham realizado exposição individual em quaisquer das galerias da Fundaj ou do CCBNB nos dois anos anteriores ao prazo de inscrição estabelecido no Edital.

Os artistas que tiverem suas propostas selecionadas receberão cada um, prêmio no valor de R$15.000,00 (quinze mil reais).

Todos os detalhes do Projeto Residências Artísticas 2012 e as informações sobre como inscrever-se nele estão contidos em seu regulamento, disponível no site da Fundação Joaquim Nabuco, www.fundaj.gov.br.

Por meio desse projeto, a Fundação Joaquim Nabuco estimula não somente a difusão, mas também a produção das artes visuais no país, consolidando-se como espaço institucional de experimentação e de inovação na produção visual contemporânea.

As propostas deverão ser entregues no endereço abaixo ou enviadas a ele pelos correios, com data de postagem dentro do prazo estipulado no Edital.

 

 

 

     Informações e Inscrições:

Coordenação de Artes Visuais

Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte - MECA

Fundação Joaquim Nabuco

Rua Henrique Dias, 609 - Derby - Recife - PE - 52.010-100

Telefone: (81) 3073.6691

De 2ª a 6ª feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Endereço eletrônico: artes@fundaj.gov.br

 

 


Mapeamento das iniciativas de museologia social em Pernambuco

Mapeamento das ações de museologia social em Pernambuco
Recife, 12 de junho de 2012
 
Várias iniciativas relacionadas com o campo da museologia social vem sendo desenvolvidas  nos últimos anos no estado de Pernambuco, entre instituições e grupos étnicos e sociais variados, mobilizados em suas organizações comunitárias. São experiências voltadas para o trabalho com a memória social e o universo dos museus, protagonizados por pessoas, povos e coletividades que se apropriam da noção de patrimônio cultural para o fortalecimento de processos culturais e educacionais, visando o desenvolvimento social. No entanto, muitas destas iniciativas ainda possuem pouca visibilidade e reconhecimento, faltando uma maior aproximação entre as mais diversas experiências, para uma articulação coletiva em vistas ao fortalecimento de suas ações.
Se, por uma lado, comunidades de terreiro já vem participando ativamente da elaboração de exposições e fazendo memoriais, por outro, povos indígenas se apropriam das coleções etnográficas dos museus oficiais e vem se mobilizando para criar seus espaços museais. Na capital, Recife, populações de vários bairros vem organizando espaços de memória, como a comunidade do Coque, que sedia um museu fomentado a partir do Programa Pontos de Memória, do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM).
Para articular a organização entre estas iniciativas, um grupo de profissionais e estudantes vem se reunindo com o objetivo de congregar as experiências de grupos, instituições e indivíduos que vem atuando no vasto campo da museologia social, perspectiva política e teórica que concebe o trabalho com a memória e os processos de musealização articulados à ação para a transformação social, protagonizados por grupos mobilizados em suas comunidades e territórios.
Um dos objetivos desta articulação em rede, além de propiciar a circulação e troca de saberes entre as diferentes iniciativas e grupos (identificando, por exemplo, demandas comuns e possíveis soluções), se relaciona com a necessidade de debater sobre o planejamento e a execução de políticas públicas museológicas voltadas ao desenvolvimento de populações em seus territórios, sejam eles localizados na zona urbana ou rural.
Uma primeira ação em andamento é a realização de um mapeamento do campo da museologia social em Pernambuco. Importantes ações foram identificadas entre grupos religiosos afro-brasileiros, como o tombamento do quilombo urbano da Nação Xambá e criação do seu Memorial; e a atuação da Rede de Mulheres de Terreiro de Pernambuco, na organização do movimento religioso afro-brasileiro feminino, com marcante salvaguarda da memória de sacerdotisas/Iyalorixás. Em 2008, foi reformado o Terreiro Obá Ogunté - Sítio do Pai Adão, em Água Fria, zona Norte do Recife, um dos mais antigos terreiros de Xangô do Brasil. O Memorial Mãe Betinha, Elizabeth de França Ferreira, homenageia a Yalorixá, que representou a resistência da religião à intolerância, no período do Estado Novo, e a preservação de um formato de culto de origem iorubana, o xangô recifense ou nagô.
Povos indígenas do interior do estado vêm criando museus, como os Pankararu e sua Casa de Memória do Tronco Velho Pankararu (CMTVP), em Brejo dos Padres (Tacaratu), que atuou no resgate e registro da dança do Búzio; e os Pipipã, com seu Museu Comunitário Indígena Pipipã, contemplado em 2007 com o Prêmio Culturas Indígenas. Atualmente, está em cartaz em Águas Belas uma exposição sobre os Fulni-ô, com curadoria de um Fulni-ô, usando o acervo fotoetnográfico de Carlos Estevão de Oliveira, acervo do Museu do Estado de Pernambuco. Os Pankará (Carnaubeira da Penha) preservam objetos que rememoram suas lideranças, e planejam fazer um museu articulado ao trabalho dos professores indígenas na escola.
A comunidade urbana do Coque, em Recife, possui o Museu do Mangue - Ponto de Memória do Coque. Algumas ações possuem mais visibilidade, outras iniciativas estão dispersas pelo estado, necessitando de um maior intercâmbio. 
Apresentaremos um mapeamento prévio das ações de museologia social em Pernambuco no evento Conexões Ibram, realizado pela Fundarpe e pelo Ibram, entre 12 e 15 de junho de 2012, na Fundação Joaquim Nabuco (Derby). Ocorrerá a apresentação do Programa Pontos de Memória, que propõe a ampliação do debate sobre o direito à memória, através do fomento à políticas públicas museológicas voltadas para o desenvolvimento sócio-cultural de povos e comunidades. O debate sobre o Programa Pontos de Memória e a museologia social ocorrerá na quarta-feira, dia 13, às 9:30. Em 2011, o Programa Pontos de Memória foi ampliado, através de um concurso público que premiou 45 iniciativas em território nacional com 30 mil reais. Destas, 4 iniciativas do estado de Pernambuco foram premiadas pelos trabalhos desenvolvidos: a Fundação Cultural Cabras de Lampião (Serra Talhada), a Associação Reviva (Olinda), o Museu do Mangue do Coque (Recife) e a Associação e Movimento Comunitário Aliança (Arcoverde). Em 2012, está prevista mais uma edição do prêmio, com edital a ser lançado no segundo semestre.
O (A) convidamos para juntar-se ao nosso grupo, apresentando as ações que seu povo-organização-movimento vem realizando no campo da museologia social, em vistas a estabelecermos uma rede de contatos entre as diversas iniciativas existentes no estado de Pernambuco, propiciando o fortalecimento da autonomia e a cooperação entre os grupos que protagonizam ações educacionais e culturais com memória e patrimônio.
 
Grupo de trabalho – Mapeamento das ações de museologia social em Pernambuco

Segue em anexo:

 1. Convite e apresentação;
 2. Ficha de inscrição;
 3. Programação;
 4. Divulgação do debate sobre Pontos de memória e museologia social;
 5. Ficha para mapeamento das iniciativas de museologia social em Pernambuco;
 6. Chamada - Mapeamento da museologia social, PE

segunda-feira, 11 de junho de 2012

V CESO - Ciclo de Estudos em Ciências Sociais

 V CESO – Ciclo de Estudos em Ciências Sociais

5ª edição do CESO – Ciclo de Estudos em Ciências Sociais, do Programa de
Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio
Grande do Norte.

Edital de chamada de inscrição de propostas de GT´s e demais procedimentos de envios de trabalhos.

O evento será realizado entre os dias 08 e 10 de outubro de 2012,
mesmo período em que ocorrerá o VI Colóquio Internacional de Ciências Sociais. Isso possibilitará uma ampliação da agenda de debates e interlocução de saberes e experiências.

Segue o cronograma geral do evento:

                                            

PERÍODO/DATA

AÇÕES

30 de maio a 08 de junho de 2012

Inscrição de proposta de Grupos de Trabalho (GTs)

14 de junho

Divulgação dos GTs aprovados

07 a 30 de julho

Inscrição de resumos expandidos para os GTs

17 de agosto

Resultado de trabalhos aprovados para as Sessões de Comunicação oral dos GTs

17 de setembro

 

Prazo final para envio de trabalhos completos