Minhas Publicações


Religiosidades nas Histórias em Quadrinhos 
Coletânea de Artigos Científicos. Leopoldina: ASPAS, 2015. 194p. ISBN 978-85-69211-00-6

O universo das histórias em quadrinhos é tão enorme e complexo que toda a riqueza da dimensão social pode ser encontrada e retratada entre as suas páginas. As histórias em quadrinhos possuem, além de uma dimensão artística e midiática, uma dimensão social. Entre as suas histórias é possível encontrar pessoas, lugares, práticas e acontecimentos que retratam e resgatam uma boa parte dos acontecimentos sociais e representam visualmente circunstâncias sócio-históricas e político-culturais das mais diversas.  Esta coletânea se propôs  a reunir as ações de pesquisadores que resolveram captar estas religiosidades através das histórias em quadrinhos. Suas posições teóricas são tão díspares quanto são as manifestações religiosas existentes no mundo. Em comum, um único aspecto: o desejo de mostrar como imagens desenhadas, palavras destacadas e gestos encenados por personagens e em locais feitos de tinta representam os sentimentos em torno do ethos religioso.





Representações do Feminino nas Histórias em Quadrinhos 
Coletânea de Artigos Científicos. Maceió: Edufal, 2015. 328p. ISBN 978-85-7177-836-8

A coletânea analisa como as questões de gênero estão sendo trabalhadas nos quadrinhos. Concentra-se na representação dos papeis femininos dos quadrinhos infantis nacionais (como a Mônica) e internacionais (como em Mafalda); passando pelos quadrinhos de super-heróis e o surgimento das super-heroína nos comics, dos papeis femininos e as representação de personagens femininas nos mangás shonen e shojo até as publicações autobiográficas undergrounds que destacam o papel da mulher no Irã e nos quadrinhos feministas norte-americanos. 



Quadrinhos sob Diferentes Olhares Teóricos
Coletânea de Artigos Científicos. Vitória: PPGEL/UFES, 2014. 221p. ISBN 978-85-6606-302-8

O trabalho apresenta diversos estudos sobre quadrinhos, tiras, cartuns, charges em relação ao humor e a abordagens de estudos linguísticos, na pragmática, na análise do discurso e nos estudos semânticos. 

E entre estudos, minha contribuição, aparece no capítulo 7, quebrando a perspectiva do gênero literário, ao apresentar a perspectiva sócio-antropológica do gênero (social) e como a questão do humor se constrói em torno da caracterização dos corpos femininos e masculinos. 




Questões de Sexualidade nas Histórias em Quadrinhos
Coletânea de Artigos Científicos. Maceió: EDUFAL, 2014. 294p. ISBN 978-85-7177-815-3

O trabalho analisa a representação as identidades sexuais nos quadrinhos. discutindo os limites entre pornografia e erotismo, tanto nos quadrinhos norte-americanos de super-heróis, passando pela diversidade de identidades sexuais dos mangás até os quadrinhos independentes e nacionais. A análise apresenta estudos sobre o lesbianismo,a pesar do foco maior ser a homossexualidade masculina. Analisa as relações que os quadrinhos fazem entre violência, sexualidade e perversão.




Quadrinhos e Educação em Cinco Pontos de Vista
Coletânea de Artigos Científicos. Recife: EDUFPE, 2014. 104p. ISBN 978-85-415-0405-8

O livro reúne os artigos de autores egressos das pós-graduações da UFPE, e que também atuaram/atuam como professores desta universidade (Amaro Braga, Thiago Modenesi e Clériston Andrade), enfocando a relação que as HQs têm com a educação, tanto do ponto de vista teórico quanto prático. 

Minha contribuição é o ponto de vista 3. 




Coletânea de Histórias em Quadrinhos Categoria 1 do Prêmio José Irineu Guimarães
Coletânea de Quadrinhos. Ponta Grossa: Sec. Cul. e Turismo, 2012. 51p. ISBN 978-85-64958-32-6

Trata-se de um álbum em quadrinhos resultado da premiação "Ireno José Guimarães" de Histórias em Quadrinhos, promovido pela Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Ponta Grossa no Paraná em 2012, onde fui premiado juntamente com minhas parceiras Mariana Petróvana e Janaína Araújo. São apenas duas histórias longas no material, a minha é a segunda "Bonita, como Eu!". 






Amores Plurais: Quadrinhos e Homossexualidade
Coletânea de HQ. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2013. 92p.

Coletânea de quadrinhos premiados no concurso Quadrinhos e Homossexualidade, lançado pela editora, especializada em quadrinhos, Marca de Fantasia junto ao Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFPB.

Neste álbum, fiz uma história chamada “Minha Flor, Minha Rosa” com a desenhista  Janaína Araújo.

A história apresentada fala sobre uma situação de discriminação sexual enfrentada por um casal de lésbicas que vão a um restaurante, devido a uma promoção de descontos para casais, e são questionadas se realmente são um casal e tem direito ao desconto.









Anais do 2º EncontroHQ - Encontro Nacional de Estudos sobre Quadrinhos
Organização de Anais. Maceió: Edufal, 2012. 430p.


Os anais contém os melhores artigos apresentados durante a segunda edição do Encontro Nacional de Estudos sobre Quadrinhos ocorrido durante a Super-Con no Centro de Convenções da UFPE em 29 e 30 de julho de 2012.



Alagoas Sequencial
Coletânea de HQ. Maceió: Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2012. 111p.

Coletânea de quadrinhos premiados no Prêmio Alagoas de Histórias em Quadrinhos, concurso lançado pela imprensa Oficial Graciliano Ramos em 2011, em Maceió.

Neste álbum, fiz uma história chamada “Preto, que nem carvão!” com as desenhistas Mariana Petróvana e Janaína Araújo.

A história apresentada fala sobre uma situação de discriminação racial enfrentada por duas crianças e seu processo de entendimento da situação tentando compreender os motivos que levam alguém a ter um comportamento racista.






Desvendando o Mangá Nacional: Reprodução e Hibridização nas Histórias em Quadrinhos
Livro Teórico. Maceió: Edufal, 2011. 231p. ISBN 978-85-7177-615-9

Será que a maneira de desenhar uma HQ revela a cultura de sua região de origem? Será possível reconhecer uma linguagem nacional em cada tipo de HQ? Os “Comics” representam a cultura estadunidense? As Bandé Dessinée representam a cultura francófona? E os Mangás, por sua vez, representam a japonesa? 

Se a resposta for positiva – e deve ser – como avaliamos as produções que se espelham na linguagem de uma HQ de outra cultura? Quadrinhos de super-heróis que visualmente lembram os mangás japoneses, mas produzidos nos EUA, são um “Comic” ou um “Mangá”? Como proceder para avaliar estas HQ´s? O quanto elas têm de uma cultura o quanto se apropriam da outra? Estas nomenclaturas não são simples verbetes que nominam “Histórias em Quadrinhos” em inglês, francês ou em japonês.

Compreender os limites estéticos de cada um é compreender os meios necessários para acessar suas Representações Sociais e efetivar os meios pelos quais os quadrinhos representam a cultura em que é produzida.

Neste livro o leitor terá uma visão abrangente sobre o Mangá Nacional, as assim chamadas histórias em quadrinhos produzidas no Brasil com uma estética visual baseada nas HQ´s japonesas. Avalia o papel desempenhado pelos quadrinhistas na produção de fanzines e revistas e as escolhas estéticas que são feitas, na constituição e reconhecimento de uma linguagem nacional dos quadrinhos brasileiros.

O Livro resgata os perfis estéticos que definem a aparência e a estrutura do mangá no Japão e os compara com aqueles presentes nas versões brasileiras, concentrando o levantamento e o enfoque analítico, na revista Holy Avenger, um dos mangás nacionais de maior sucesso no Brasil.

Partindo da estrutura semiótica unida com a análise sociológica, o   autor discute como os processos de reprodução da estética seqüencial – acolhido de forma despretensiosa por parte dos produtores de quadrinhos, podem incentivar a hibridização cultural, um fenômeno com efeitos não planejados na identidade e na estética nacional. 





AfroHQ: História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em Quadrinhos
Publicação de HQ. Recife: Ed. do Autor, 2010. 90p.

Em 2003 foi aprovada a lei 10.639, que previa a obrigatoriedade do ensino de conteúdos curriculares sobre a História e a Cultura Africana e Afro-brasileira na escola em seus diversos períodos e disciplinas, foi baseado nisso que será lançado nesta sexta-feira, 2 de julho de 2010, às 19h, na Livraria Cultura, o álbum em quadrinhos AfroHQ. Resgatando a história da presença africana no Brasil e suas contribuições para a formação da cultura brasileira, a HQ foi ricamente ilustrada em aquarela e apresenta as principais temáticas antropológicas, sociológicas e históricas relativas à cultura afro-brasileira. Narrada pelos próprios orixás, a aventura parte do surgimento do homem na África, passando pela escravidão, a construção do Brasil, seu povoamento e as contribuições advindas de sua cultura material e imaterial tais como dança, música, linguagem, culinária, religião e artesanato, enfatizando o quanto pesa a cultura africana no patrimônio brasileiro

A HQ foi produzida com pesquisa e roteiro do sociólogo Amaro Braga, professor do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas – UFAL, e teve os desenhos e a pintura das arte-educadoras Danielle Jaimes e Roberta Cirne, estudantes de Artes Plásticas da UFPE e contou com o incentivo do Funcultura do Governo do Estado de Pernambuco.




Heróis da Restauração Pernambucana em Quadrinhos
Publicação de HQ. Recife: Publikimagem, 2009. 108p.

Baseado nos livros do notório historiador José Antônio Gonsalves de Mello, o álbum adapta as biografias de personagens marcantes no movimento de capitulação holandesa e restauração do governo português, durante o séc. XVII, no nordeste brasileiro, são apresentadas neste álbum as histórias de vida (do nascimento às cenas marcantes da Batalha dos Guararapes): 

Henrique Dias: capitão dos negros, mulatos e pardos do Brasil; 
Antônio Dias Cardoso: sargento-mor do terço de infantaria de Pernambuco; 
João Fernandes Vieira: Mestre de Campo do terço de infantaria de Pernambuco; e, 
Antônio Felipe Camarão: Capitão-mor dos Índios da costa do nordeste brasileiro. 

O álbum mostra as cenas onde surge pela primeira vez a menção ao termo "Nação Brasileira" e como esse fato se relaciona ao fato histórico onde negros, índios, mulatos e portugueses se uniram em torno de um único ideal: construir uma Nação Brasileira.



Passos Perdidos, História Desenhada: A 1ª Comunidade Judaica nas Américas. Sefardim do Séc. XVII [vol.4]
Publicação de HQ. Recife: Publikimagem, 2007. 100p.

Durante o séc. XVII o nordeste brasileiro ficou sob o domínio do governo holandês. Neste período a comunidade judaica se desenvolveu e criou raízes ainda mais fortes na região. Acontecimentos como o comércio judaico, o crescimento dos Engenhos de Açúcar, a administração de Maurício de Nassau, a fundação da 1ª Sinagoga das Américas, a Kahal Zur Israel, o cemitério judaico, a milícia armada de judeus e os movimentos de revolta até a restauração do governo português e a fuga e conversão dos judeus em Pernambuco. Abrilhantando ainda mais este álbum, a história é contada em um passeio no Bairro do Recife Antigo e na Rua do Bom Jesus (antiga Rua dos Judeus).



Passos Perdidos, História Desenhada: Cotidiano Colonial em PE. Cristãos-novos do Séc. XVI [vol.3]
Publicação de HQ. Recife: Publikimagem, 2007. 100p.

Neste álbum, os principais momentos do primeiro século de habitação dos judeus em Pernambuco são retratados: o surgimento dos primeiros profissionais liberais (médicos, boticários, alfaiates, professores, etc.), suas práticas religiosas, o desenvolvimento do comércio de açúcar até as primeiras investidas da inquisição no Brasil e das denunciações. Destaque para personagens como Branca Dias, , Bento Teixeira, entre outros. Desta vez a história se passa no Parque 13 de Maio no Centro da Cidade do Recife.



Passos Perdidos, História Desenhada: Caminhos dos Judeus na Península Ibérica. Séc. XVI [vol.2]
Publicação de HQ. Recife: Publikimagem, 2007. 100p.

Retrata os fatos históricos ocorridos na Europa durante os séc. XIII até o XVII, destacando os fatores que motivaram a vinda dos primeiros judeus para o Brasil. As perseguições reais, a linguagem em ladino, as atividades profissionais, a inquisição e as descobertas científicas são os grandes momentos retratados neste álbum. Desta vez a história é narrada durante uma passeio da avó pela Praia de Boa Viagem, em Recife.



Passos Perdidos, História Desenhada: A Segunda Comunidade Judaica em PE: os Ashkenazim do séc. XX [vol.1]
Publicação de HQ. Recife: Publikimagem, 2007. 100p.

Edição ampliada e revisada. Melhorada no acabamento gráfico. Papel fosco e lombada quadrada. Acrescida de 20 páginas, esta segunda edição traz a história até os dias atuais,mostrando os expoentes da comunidade judaica em Pernambuco e enfatizando sua participação nos movimentos teatrais da cidade com o Teatro Iídiche. 



Passos Perdidos, História Desenhada: E Eles Vieram para Ficar...
Publicação de HQ. Recife: Publikimagem, 2006. 80p.

Nossa primeira publicação. Premiada com o HQMIX de Melhor Contribuição do Ano em 2006Retratando a Presença Judaica em Pernambuco no Séc. XX, uma avó narra para sua neta a história recente da migração da sua família para o Recife. Enquanto os dados históricos são contados é feito um resgate arquitetônico e urbanístico do centro do Recife: Rua da Imperatriz, Praça Maciel Pinheiro, Rua Velha, Rua do Aragão, Bairro da Boa Vista e muito outros locais representativos de Recife.


Postar um comentário