quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Canal Futura seleciona alunos para laboratório de produção de vídeo


Canal Futura seleciona alunos para laboratório de produção de vídeo

 

As inscrições para o Laboratório de Produção de Vídeo Geração Futura Universidades Parceiras 2013, do Canal Futura, estão abertas até o dia 15 de dezembro. O projeto dá a oportunidade aos alunos das universidades brasileiras de visitarem a sede do canal no Rio de Janeiro e participarem de oficinas de técnicas de produção televisiva, entre os dias 28 e de janeiro a 8 de fevereiro. Além do laboratório presencial, há também o laboratório à distância, com o suporte de vídeos para o desenvolvimento de storylines. Detalhes sobre as fases de seleção, laboratórios presenciais e online e hospedagem se encontram no edital.

Para se inscrever, o estudante deverá estar matriculado em uma das universidades parceiras, no curso de Comunicação Social, Audiovisual ou Rádio e TV e ter mais de 18 anos. Os documentos necessários são a folha de rosto anexa ao edital preenchida pelo estudante, declaração que informe o ano de matrícula na universidade e o curso em que está inscrito, cópia de CPF e identidade, além da Ficha de Análise do Interprograma do Futura, também anexa ao edital. Os documentos devem ser digitalizados e enviados para o email geração.universidades@futura.org.brou para o endereço do Canal Futura. O resultado final da seleção será divulgado por e-mail no dia 14 de dezembro.


 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Ciclo Comunicação, Educação, Cutura

CICLO INTERINSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO
EM COMUNICAÇÃO, EDUCAÇÃO E CULTURA

III CICLO DE PESQUISAS DA REDE COQUE VIVE

I ENCONTRO FRANCO-BRASILEIRO DE COMUNICAÇÃO, EDUCAÇÃO E CULTURA

V CICLO FORMATIVO DE EDUCAÇÃO E CIDADANIA COM ESPIRITUALIDADE

Dias 12, 13 e 14 de dezembro
Centro de Artes e Comunicação (CAC) – Centro de Educação (CE)

Realização. UFPE: Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCOM), Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE)● Université Lumière Lyon 2: ISPEF ● Rede Coque Vive (RCV). Apoio: Programa de Pós-graduação em Sociologia (PPGS).

PROGRAMAÇÃO GERAL

III CICLO DE PESQUISAS DA REDE COQUE VIVE

Dia 12/12, AUDITÓRIO DO PPGCOM – CAC

14h – Conversa de Abertura. O Pequeno Príncipe explicado aos pesquisadores sociais – Formar-se com o coração!
Coordenação: Alexandre Freitas (UFPE: PPGE, NEIMFA)

16h – Sessão de Conversas. Os meios hábeis da Rede Coque Vive: reabrindo a caixa de ferramentas.
Expositores: Vinícius Andrade (UFPE: PPGCOM), Mário Jarbas de Lima Júnior (UFPE: PRODEMA) e Rafaela Vasconcellos (UFPE: PPGS)
Coordenação: Maria Eduarda da Mota Rocha (UFPE: PPGS)

19h – Lançamento de livro: "Dos alagados à especulação imobiliária. Fragmentos da luta pela terra na comunidade do Coque".
Expositores: Francisco Ludermir (autor), Alexandre Freitas (UFPE: PPGE, NEIMFA), Tomás Lapa (UFPE: PRODEMA)
Coordenação: Yvana Fechine (UFPE: PPGCOM)

I ENCONTRO FRANCO-BRASILEIRO DE COMUNICAÇÃO,
EDUCAÇÃO E CULTURA

Dia 13/12, AUDITÓRIO DO PPGCOM – CAC

14h – Mesa redonda. As práticas educomunicativas e o papel das interações na formação do educomunicador.
Palestrantes: Doriele Andrade (UFPE: PPGE / Lyon 2), Jean-Claude Régnier (Université Lyon 2), Nadja Acioly-Régnier (IUFM-Université Lyon1).
Coordenação: Patrícia Horta (UFPE: DCOM)

16h – Sessão de conversas. Sensibilizar a formação: atravessando os muros invisíveis.
Expositores: Cleiton Barros Nunes (UFPE: PPGE), Maria Socorro Liberal (UFPE: PPGE), Pedro Amador (UFPE: PPGE).
Coordenação: Aurino Lima (UFPE: PPGE)

19h – Ciclo Aberto de Diálogos. Os meios hábeis da Rede Coque Vive: reabrindo a caixa dos sonhos.
Expositores: Alexandre Freitas (UFPE:PPGE, NEIMFA), Ridivaldo Procópio (MABI:UFPE-CS), João Pereira Vale Neto (Secretaria de Cultura do Estado), Rafaela Vasconcellos (UFPE:PPGS), Yvana Fechine (UFPE: PPGCOM)
Coordenação: Cristina Teixeira (UFPE: PPGCOM)

V CICLO FORMATIVO EDUCAÇÃO E CIDADANIA COM ESPIRITUALIDADE

Dia 14/12, Auditório do PPGCOM-CAC, salas de aula e hall do CE

10h – Abertura. Infâncias e construção de mundos possíveis: formar crianças na mandala das sabedorias (AUDITÓRIO DO PPGCOM-CAC).
Expositores: Andréa Santana (NEIMFA: NEC) e Alexandre Freitas (UFPE: PPGE, NEIMFA)

14h – Oficinas. Dimensões do ser e de ser criança: práticas de cuidado, arte e contação. (SALAS DE AULA DO CE).
Oficineiros: Sidney (NEIMFA:NDHCP), Auvaneide (NEIMFA: NAC), Patrícia (NEIMFA:NADCOM), Regina (NEIMFA,UFPE:PPGE) e Andréa (NEIMFA:NEC)

16h – Experimentações. Poéticas da memória e dos afetos: palavra, corpo, vida nas infâncias (SALAS DE AULA DO CE).
Expositores: Emília Lins (UFPE: DPOE) e Tereza Didier (UFPE: DMTE)

18h – Roda coletiva de contação de histórias (HALL/CE).

19h – Encerramento. Formação da Turma de Educação Infantil do NEIMFA (HALL/CE).

INSCRIÇÕES GRATUITAS NO LOCAL
VAGAS LIMITADAS

Seminário Modos e Modas - Interfaces da Moda




Programação Colóquio Redes, Bordas e Entretenimento

Programação do Colóquio Redes, Bordas e Entretenimento

 

Quarta-feira, 28 de novembro 2012-11-26

Auditório do PPGCOM, Centro de Artes e Comunicação – Campus da UFPE (Cidade Universitária) – Recife- Pernambuco-Brasil-Mundo

Às 14:30

 

NAS BORDAS DO CINEMA BRASILEIRO

Professora Bernadette Lyra (Anhembi-Morumbi)

 

O termo "Cinema de Bordas" é usado para recortar, pesquisar e estudar um tipo específico de filme de ficção que ocorre no universo de produção, realização e exibição cinematográficas periféricas.  Os filmes de bordas são feitos com baixo orçamento; adotam o estatuto do improviso e da precariedade; adaptam-se a uma estética mais ou menos "tosca", "impura", "mista" ou "trash" e circulam em espaços caseiros ou em mostras alternativas, atendendo a um público que neles vê os reflexos de seu habitat, de seu gosto, de sua região e de seu próprio imaginário, Neles, os resíduos da cultura popular aparecem atualizados, metamorfoseados e remixados sob o contrato dos modos usuais com que os meios audiovisuais de comunicação atuam sobre os hábitos e costumes de moradores de determinadas regiões do país.

 

CENAS MUSICAIS- IDENTIDADES EM DIFERENTES MOLDAGENS PARA O MANGUE A LAMA NAS CENAS MANGUEBEAT, INDIE E HEAVY METAL DO RECIFE. 

Professor Jeder Janotti Junior (Universidade Federal de Pernambuco)

Antes de definir de modo estrito o que se entende por cena musical, busca-se, através de uma abordagem heurística, observar como a utilização do rótulo cena pode articular experiências estéticas que, apesar de conectar identidades locais à circulação global de música, possibilitam diferentes encaixes em um mesmo espaço urbano. Levando-se em consideração que a noção de identidade pressupõe uma "noção de si" e uma articulação da memória, pretende-se observar como a configuração de sonoridades diferenciadas (mangue, indie e heavy metal) possibilitam vivencias e construção de territórios sonoros que ora, partilham um mesmo imaginário de cidade, ora se apoiam em dissensos que configuram lugares que tencionam a ideia de Recife através da lama e do mangue (como fontes imaginárias da produção cultural atual). Seguindo essa trilha procurar-se-á entender como são partilhadas e tensionados os territórios sonoros presentes nas experiências articuladas na cena musical do recifense, na cena indie e na cena heavy metal.

da programação televisiva brasileira.

 

Quinta-feira, 28 de novembro 2012-11-26

Auditório do PPGCOM, Centro de Artes e Comunicação – Campus da UFPE (Cidade Universitária) – Recife- Pernambuco-Brasil-Mundo

Às 14:30

 

APROPRIAÇÕES DE RAYMOND WILLIAMS PARA ANÁLISE CULTURAL DE TELEJORNALISMO

Professora Itânia Gomes (Universidade Federal da Bahia)

A articulação entre a mudança social e a mudança cultural é o desafio central que Raymond Williams quer enfrentar com a formulação da noção de estrutura de sentimento. Em sua obra, estrutura de sentimento vai se configurando como um recurso que o autor mobiliza para compreender a maneira como vivemos, cada um de nós, individualmente, mas sempre de modo profundamente social, a complexidade das relações entre materialidades econômicas, estruturas sociais e políticas e produção de sentido. Na nossa conferência, apresentarei os elementos centrais da teoria da cultura e da análise cultural em Raymond Williams, em especial o conceito de estrutura de sentimento. Em seguida, apresentarei alguns desdobramentos mais específicos da análise cultural de Williams para análise do telejornalismo, a partir de alguns exemplos da programação televisiva brasileira.

 

A COMUNICAÇÃO DAS COISAS. INTERNET DAS COISAS E TEORIA ATOR-REDE.

 

Professor André Lemos (Universidade Federal da Bahia)

 

A Internet das coisas é, de acordo com CERP 2009 (Cluster of European Research Projects on the Internet of Things), uma infraestrutura de rede global dinâmica, baseada em protocolos de comunicação onde "coisas" físicas e virtuais têm identidades, atributos físicos e personalidades virtuais, utilizando interfaces inteligentes e integrados às redes telemáticas. As coisas/objetos tornam-se capazes de interagir e de comunicar entre si e com o meio ambiente através do intercâmbio de dados. Durante o ano de 2008, o número de coisas ligadas à Internet excedeu o número de pessoas no planeta. Estima-se que haja mais de seis objetos por pessoa conectados no mundo hoje. Vamos investigar a IoT a partir da Teoria Ator-Rede (TAR) e de Ontologia Orientada a Objeto (OOO). A TAR busca identificar as mediações que se estabelecem na associação entre atores humanos e não-humanos. O social é o que resulta destas associações. Pela OOO discutimos a essência dos objetos e suas qualidades quando os mesmos passam a ter uma nova funcionalidade: a infocomunicacional. Para exemplificar analisamos o projeto de implementação de etiquetas de radiofrequência no escudo dos uniformes dos alunos de uma escola municipal na Bahia. O objetivo é mostrar como uma nova qualidade dos objetos traz à baila questões técnicas, mas também comunicacionais, sociais, pedagógicas, policiais, alterando regimes de sociabilidade. Um objeto sensual com novas qualidades sensuais nos convoca a repensarmos suas qualidades reais.







SEMINÁRIO: TRABALHO E GÊNERO

SEMINÁRIO: TRABALHO E GÊNERO

DIA 28 DE NOVEMBRO DE 2012 – AUDITÓRIO DO CFCH/UFPE

10h15min: PALESTRA:

A SOCIOLOGIA DIANTE DE NOVAS FORMAS DA DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO:
Entre o Emprego Doméstico e a Profissão de Cuidador
Professora Dra. Nadya Araujo Guimarães- Professora Titular do Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo
(USP)

11h40min: LANÇAMENTO DOS LIVROS:

CUIDADO E CUIDADORAS, AS VÁRIAS FACES DO TRABALHO DO CARE
Editora Atlas - Helena Sumiko Hirata e Nadya Araujo Guimarães (Organizadoras)

NÃO SE DIZ TUDO AO MARIDO: FAMÍLIA, CASAMENTO E AUTONOMIA ENTRE MULHERES DO INÍCIO
DO SÉCULO XX. Editora APPRIS – Maria da Conceição Lafayette de Almeida.

PROMOÇÃO:
Programa de Pós-Graduação em Sociologia
Departamento de Sociologia
Programa de Pós Graduação em Antropologia
SOS CORPO – Instituto Feminista para a Democracia

sábado, 24 de novembro de 2012

Maceió recebe oficina de Arte e Tecnologia de 26 a 30 de novembro


Maceió recebe oficina de Arte e Tecnologia de 26 a 30 de novembro

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult), através do Pontão Guerreiros Alagoanos em parceria com a Fundação Nacional de Artes (Funarte) realiza, no período de 26 a 30 de novembro, a oficina "Por uma multimídia pessoal: oficina de arte & tecnologia". Serão oferecidas duas turmas, sendo uma de 13h às 17h e a segunda das 18h às 22h. As oficinas acontecem no Centro de Belas Artes de Alagoas (Cenarte).

Com o objetivo de apresentar aos alunos posicionamentos de artistas envolvidos na área de arte e tecnologia, a oficina vai também sugerir exercícios com os quatro elementos básicos da arte e tecnologia: a luz elétrica, a transparência, o movimento mecânico e a tridimensionalidade. Ao final da oficina, está prevista a realização de trabalhos que explorem principalmente recursos de "baixa tecnologia" (low-tech).

A oficina será ministrada por Frederico Dalton (RJ) que tem pós-graduação em vídeo e fotografia na Academia de Arte (Kunstakademie) de Düsseldorf, Alemanha. É especialista na área de treinamento, formado pelo RNTV, centro de treinamento da TV estatal holandesa.

 

O curso é destinado a artistas e estudantes de arte, fotógrafos e demais interessados. Para participar da oficina é preciso ser maior de 16 anos. Não é necessária experiência anterior na criação de arte & tecnologia.

As inscrições podem ser feitas por telefone, através do 3315-7867 ou na Superintendência de Formação e Difusão Cultural, na sede Secult, no antigo Palácio Floriano Peixoto, Centro.

Serviço:
Oficina: Por uma multmídia pessoal: oficina de arte e tecnologia
Data: 26 a 30 de novembro
Local: Centro de Belas Artes (Cenarte)
Endereço: Av. Pedro Monteiro, 108 – Centro – Maceió/AL
Informações: (82) 3315 7871

 


[PLURA] CHAMADA DE ARTIGOS / CALL FOR PAPERS: RELIGIÃO E DIREITOS HUMANOS / RELIGION AND HUMAN RIGHTS

Vol. 4, nº 1, 2013.

Submissão de artigos até 15/03/2013 / Paper submission until March 15th,
2013.

A Comissão de redação da ABHR convida a comunidade acadêmica a submeter
artigos originais voltados ao tema "Religião e Direitos Humanos", que
comporá a seção temática de Plura vol. 4, nº 1, 2013.  Submissões de
artigos serão aceitas até 15/03/2013.

The Brazilian Association for the History of Religions' editorial team
invites the academic community to submit original papers on the issue
"Religion and Human Rights", for publication in Plura vol. 4, nº 1. Paper
submissions will be accepted until March 15th, 2013.

Arnaldo Érico Huff Junior, Editor
Plura, Revista de Estudos de Religião
http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/plura/index
________________________________________________________________________
Plura
http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/plura


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Concurso UFAL: CIÊNCIA POLÍTICA E SOCIOLOGIA

O Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas
abriu duas vagas para professor efetivo nas áreas de Ciência Política e Sociologia.
As inscrições seguem até às 17h00 do dia 17/12/2012.

Delinquência Juvenil e Reclusão Feminina em Portugal

A UFAL recebe a visita da Profa. Dra. Vera Duarte, do Instituto Superior
da Maia, em Portugal, que proferirá duas palestras em Maceió.
 
Trata-se de uma inciativa do Núcleo de Estudos sobre a Violência em Alagoas
(NEVIAL), em parceria com o Núcleo de Estudos e Políticas Penitenciárias (NEPP),
com o Mestrado em Sociologia e o Mestrado em Direito da UFAL. 
 
A primeira palestra é intitulada "Reclusão feminina em Portugal: discursos
(des)preocupados e (des)comprometidos", ocorrerá no Espaço Multieventos
do Presídio Feminino Santa Luzia, no dia 23/11, às 14h.
 
A segunda, intitulada "Delinquência juvenil em Portugal: retratos,
respostas e preocupações", ocorrerá no dia 27/11/12, no auditório
da Reitoria, às 8:30h. 
 
A inscrição é gratuita em ambos os eventos e deverá ser realizada
uma hora antes, no próprio local.  Os presentes receberão certificados
de 3 horas por cada evento.
 
Breve currículo da Profa. Vera:

Vera Duarte. Socióloga, doutorada em Sociologia pela Universidade do Minho (Braga, Portugal),

com um projeto financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia e uma tese

intitulada: Os caminhos de Alice do outro lado do espelho: discursos e percursos

na delinquência juvenil feminina. Atualmente é docente no Instituto Superior da Maia

(ISMAI, Portugal - www.ismai.pt) e investigadora no Centro de Investigação em

Ciências Sociais da Universidade do Minho (CICS/UM, Portugal) e na Unidade de

Investigação em Criminologia  Ciências do Comportamento (UICCC/ ISMAI,

Portugal), da qual é diretora executiva. O trabalho de docência, produção científica

e investigação tem sido, predominantemente, nas áreas da sociologia do desvio,

da criminalidade e da delinquência juvenil (feminina) e das metodologias qualitativas.

 

Aguardamos a presença de todos para fortalecer esse

momento de diálogo acadêmico e institucional, que nos permitirá uma interessante

troca de experiências.

 



XIV SIMPÓSIO OBSERVANORDESTE


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

mercado nacional de HQs


Oficina gratuita de Introducao a fotografia

  Dando continuidade ao projeto Digitalizando a Arte e a Cultura Alagoana, do Programa Vivência de Arte da Pró-reitoria Estudantil da Universidade Federal de Alagoas, será realizada nesta sexta-feira, dia 23/11, a oficina "Introdução à fotografia".

  Local: Sala de telejornalismo do bloco de comunicação (Cos)
  Hora: das 13h às 17h
  
  São 30 vagas, com direito a certificado emitido pela Pró-reitoria Estudantil (Proest) e é necessário levar câmera (qualquer digital).

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Colóquio discute comunicação e fenômenos midiáticos no PPGCO



Colóquio discute comunicação e fenômenos midiáticos no PPGCOM

 

O Colóquio Redes, Bordas e Entretenimento será realizado, nos dias 28 e 29 deste mês, sempre a partir das 14h30, no auditório do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM), no Centro de Artes e Comunicação (CAC). O evento discutirá modos e formas comunicacionais de lidar com fenômenos midiáticos como a internet, o cinema, a televisão e a música, a partir de um diálogo com pesquisadores e professores da área de comunicação. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas pela internet até o próximo dia 27.

Participam do evento os pesquisadores André Lemos (UFBA), Bernadette Lyra (Anhembi-Morumbi), Itânia Gomes (UFBA) e Jeder Janotti Júnior (UFPE). Os pesquisadores possuem publicações reconhecidas no universo da comunicação e questionaram, nos últimos anos, os modelos e os cânones que durante o final do século XX deram base aos estudos de comunicação e cultura.

Antes de ser um encontro centrado em uma mídia ou ambiente comunicacional, pretende-se que professores que trabalham temas diversos no universo da comunicação estabeleçam um diálogo crítico em torno de suas bases teóricas e propostas analíticas. O evento é promovido pelo PPGCOM e Laboratório de Análise de Músicas e Audiovisuais (L.A.M.A), com apoio do CNPq. O colóquio é coordenado pelo professor do PPGCOM Jeder Janotti Júnior.

Mais informações
Programa de Pós-Graduação em Comunicação
(81) 2126.89

terça-feira, 13 de novembro de 2012

II Colóquio Internacional Mudanças Estruturais no Jornalismo - Mejor 2013




Colóquio Mejor prorroga data de submissão de trabalhos

Resumos podem ser enviados por e-mail até o dia 15/12

Os interessados em participar do II Colóquio Internacional Mudanças Estruturais no Jornalismo - Mejor 2013 já podem enviar seus resumos para o evento, que vai tratar do tema: 'Estatutos, carreiras e normas' no jornalismo. O II Colóquio Internacional acontece nos dias 07 a 10 de maio de 2013, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte.

O período de submissão dos resumos encerra no dia 15 de dezembro de 2012. As propostas devem ser encaminhadas ao e-mail: coloquiomejor2@gmail.com

Cronograma do Evento

Submissão dos resumos

15 de dezembro de 2012

Divulgação dos resumos aceitos

15 de janeiro de 2012

Envio dos artigos

15 de março de 2012

Publicação das Atas do Colóquio

Maio de 2012

Realização do II Mejor

7 a 10 de maio de 2012, na UFRN, Natal

Realização da Jornada de Estudos Olhares Cruzados

10 de maio de 2012, na UERN, Natal



Segue a chamada para trabalhos e em anexo a Chamada em inglês e em francês.

Favor divulgar nas suas redes de contato,


Kênia Maia

Organizadora do Mejor 2013



Estatutos, carreiras e normas

Chamada de trabalhos

 

Local: Natal, Rio Grande do Norte, Brasil

Data: 7 a 10 de maio de 2013

Submissão de propostas até: 15 de dezembro de 2012

Realização: Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Departamento de Comunicação Social da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Parceria: Departamento de Comunicação Social da UFRN, Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB) e Réseau d'Études sur le Journalisme (Rede de Estudos sobre o Jornalismo/REJ)

 

1. Tema do Colóquio

                Pressionado pelas mudanças nas tecnologias, pela aceleração do tempo de produção, circulação e consumo da informação; pela precarização das relações de trabalho; pelas transformações nas rotinas produtivas e das relações com as fontes, o  jornalismo passa por mudanças que  consequentemente repercutem no estatuto, nas carreiras, nas normas, na identidade profissional e no processo de produção dos jornalistas.

Essas mudanças suscitam análises distintas. Por um lado, constrói-se uma retórica "crise" da profissão.  Por outro, emergem discursos em torno do papel libertador das novas tecnologias, da multiplicação de canais e das possibilidades de atuação profissional do jornalista. Esse duplo discurso (crise e renascimento) é recorrente na construção da identidade profissional dos jornalistas. Ora se ancorando na sociologia das profissões, compreendemos que as identidades profissionais tem a propriedade de serem constantemente elaboradas pela dialética da permanência e da mudança, dos anciões e dos modernos, do caos e da renovação. Entretanto, os jornalistas tem uma construção identitária original em relação a outros grupos profissionais: ela se fundamenta na moral. Isso se explica pelo fato de que os jornalistas não possuem um domínio exclusivo, nem um saber técnico específico. Os jornalistas foram bem ativos para objetivar fronteiras e competências próprias. Mas eles não alcançaram vitória e as transformações do campo profissional e midiático são testemunhos históricos. Por isso, atualmente a moral e o discurso deontológico, como modalidade identitária, adquirem mais importância: "todo mundo pode fazer jornalismo, mas somente os jornalistas tem a moral profissional para garantir a qualidade", se entende cada vez que o espaço da atividade da informação se estende. É um discurso tipicamente comunitário, que não deixa de ter relações com outros "comunitarismos" que se desenvolvem em todos os lugares ("os franceses nativos", a "preferência nacional") e que, ao contrário do universalismo que conhecemos quando os jornalistas acreditaram na universalidade da deontologia, sem querer observar que as normas são definidas pela relação, logo necessariamente marcadas pelo local. É assim que a ligação se estabelece entre a identidade e a ética: a moral é contextual, e essa assertiva é dialética (a moral é trabalhada pelo contexto, e inversamente). Essa relação pode ser observada por diversos ângulos, como o estatuto, a carreira e o processo de produção.

A intenção do Colóquio é dar continuidade às discussões em torno da estabilidade e das mudanças estruturais no jornalismo iniciadas na UnB, em Brasília, em 2011, aplicadas agora ao estudo dos processos de mudanças no estatuto, na identidade e nas normas profissionais dos jornalistas. Este o tema do II Colóquio Internacional Mudanças Estruturais no Jornalismo – Mejor 2013. Convidamos professores e pesquisadores de diferentes contextos nacionais para debater, na UFRN, cidade de Natal, Rio Grande do Norte, a temática do Congresso, que será dividida em três grandes eixos de discussão:

 

1º) Mudanças no estatuto do jornalista. A emergência de novos dispositivos tecnológicos (web 2.0, e emprego de tecnologias como tablets, smartphones e similares), a ampliação das áreas de atuação dos jornalistas (na docência, na comunicação organizacional, na produção de entretenimento), bem como as mudanças na estrutura das organizações midiáticas (com a introdução de redações integradas, dos processos de produção multiplataforma e outros mecanismos) parecem sugerir mudanças no estatuto do jornalista. Este eixo abre espaço para estudos que busquem analisar as mudanças de ordem estatutária no plano sociológico, simbólico, discursivo, organizacional, empresarial e relacional. Os trabalhos propostos podem se voltar para as investigações sobre as mudanças do grupo profissional; a evolução das representações articuladas (pelos jornalistas e por outros atores sociais) em torno das identidades; a forma como as mudanças na estrutura de trabalho e no processo de circulação de bens midiáticos moldam esses processos. Assim, os trabalhos podem tentar responder as seguintes questões: de que forma as evoluções dos estatutos dos jornalistas implicam em novas normas, e/ou como os novos valores transformam os estatutos dos jornalistas profissionais? As leis, as jurisprudências, as aplicações administrativas, as definições de emprego, as organizações do trabalho, o currículo da formação acadêmica, mudam: quais consequências essas evoluções têm nas normas? Inversamente, o lugar dos públicos, a competência das fontes, a espetacularização do discurso midiático, a relação com a temporalidade têm efeitos estatutários?

 

2º) Mudanças nas carreiras jornalísticas. Certos estudos de Sociologia das Profissões situam as carreiras como resultado de uma relação entre a trajetória individual e a dimensão coletiva do mundo social. Esta remeteria a fatores de ordem simbólica, econômica e social e delimitaria as modalidades de acesso e ascensão no interior do espaço laboral. Se efetivamente as carreiras são o resultado de uma relação entre as dimensões individuais e coletivas, isso pode significar que as trajetórias individuais podem ter uma incidência sobre as representações e modalidades sociais coletivas.   Inversamente, as concepções dominantes trabalham necessariamente os percursos pessoais. Os trabalhos neste eixo de estudos poderão ser dirigidos para debater as  seguintes inquietações: Atualmente, as carreiras são  bem mais do que anteriormente, porosas (transferências com outros métiers), descontínuas, difíceis no início, quebradas no final, e paralelas (práticas múltiplas exercidas simultaneamente). Esse estado de fato tem um efeito sobre as normas? Como as normas são mantidas ou diferentes de um espaço/tempo a outro? Ter um rigor (ou não) na aplicação (ou no discurso) da moral tem consequências em termos de carreira? Poderão ser submetidos trabalhos também que compreendam análises sobre as mudanças nas modalidades de acesso e a mobilidade no interior da profissão, bem como sobre os mecanismos de gestão das carreiras profissionais nas relações que os jornalistas estabelecem entre si e com outros espaços e grupos sociais (por exemplo: fontes, públicos, intelectuais, políticos, empresários e universitários). Com as empresas sob o ritmo das fusões, da flexibilidade, da aceleração, da efemeridade dos processos de trabalho, temos funções que são extintas e outras atividades acumuladas por um mesmo profissional. Convergências tecnológicas que impactam na fusão de postos de trabalho antes distintos. A mobilidade e a ubiquidade das tecnologias que caracterizam o aumento das horas dedicadas e quebra de fronteiras do espaço de trabalho. A fragmentação e a descontinuidade das narrativas e a necessidade de conteúdos multimidiáticos impõem outros ritmos ao processo produtivo do jornalista.

 

3º) Identidade profissional e normas As regras de conduta de um grupo são relacionais, são processos de negociação, e também resultado de seus usos transacionais. Dito de outra forma, mesmo que alguns valores sejam ontologicamente associados a uma atividade (um médico, por exemplo, possui compaixão porque ele trata, um jornalista tem o respeito à verdade porque ele informa), as regras são contextuais. Pretende-se que os trabalhos enviados para este eixo proponham-se a fugir de uma abordagem apenas normativa de relação entre identidade e deontologia ("o bom e o mau jornalista" e os reflexos na "qualidade da informação") para abrigar estudos que busquem vincular as mudanças identitárias e os processos sociais que permitem a construção e as transformações nas normas profissionais (os enunciados éticos, os atores envolvidos e os espaços deliberativos).

 

2. Prazos

Submissão dos resumos             

15 de dezembro de 2012

Divulgação dos resumos aceitos

15 de janeiro de 2013

Envio dos artigos

15 de março de 2013

Publicação das Atas do Colóquio

maio de 2013

Realização do Mejor 2013

7 a 10 de maio de 2013, na UFRN, Natal

Realização da Jornada de Estudos Olhares Cruzados

10 de maio de 2013, na UERN, Natal

 

3. Normas de submissão de trabalhos

3.1. Da originalidade

3.1.1. Os trabalhos devem ser inéditos. São considerados inéditos os textos que não foram publicados ou divulgados em formato de artigo em qualquer tipo de suporte, nem apresentados em outros congressos científicos.

3.1.2.  Os trabalhos podem ser de autoria individual ou coletiva. Pelo menos um dos autores deve ter título de doutor ou doutorando.

3.1.3. Terão preferência trabalhos que apresentem estudos empíricos.

3.2. Das modalidades de submissão dos trabalhos

3.2.1. Os resumos devem ser enviados redigidos em português, espanhol, francês ou inglês. Os resumos devem ter entre 400 e 500 palavras e apresentar até 5 (cinco) palavras-chave. Devem trazer a problematização do objeto analisado, o referencial teórico-metodológico e os resultados da análise – exceção feita a ensaios ou artigos de revisão bibliográfica.

3.2.2 Os resumos serão avaliados dentro do sistema de revisão paritária cega pelo comitê científico do Congresso. Serão utilizados os seguintes critérios: originalidade; relevância para a área; adequação ao tema do Colóquio; domínio e pertinência da bibliografia; adequação teórica e metodológica; clareza, coesão e cumprimento das exigências formais da linguagem científica. Serão selecionados até 30 trabalhos.

3.2.3 Os resumos devem ser enviados para o mail coloquiomejor2@gmail.com e dentro do prazo estabelecido no item 2.

3.2.4. Para assegurar a revisão cega, os resumos não devem conter nenhuma indicação que possa permitir a identificação do(s) autor(es). A primeira página deve conter identificação, instituição, currículo resumido do autor (até 3 linhas), endereço de e-mail do(s) autor(es); essas informações não serão enviadas aos membros do comitê científico que irão avaliar  as propostas.

3.2.5. O(s) autor(es) dos resumos aceitos devem entregar o texto completo dentro do prazo estabelecido  no item 2. Os artigos devem ter entre 30 e 40 mil caracteres. Podem ser redigidos em uma das seguintes línguas: português, inglês, francês ou  espanhol.

3.2.6. Os artigos devem ser enviados pelo mail coloquiomejor2@gmail.com

 

4. Da publicação dos trabalhos nos Anais do evento

4.1. Todos os artigos aprovados para o evento serão publicados eletronicamente nos Anais do Mejor 2013.

 

5. Seleção de trabalhos para o Dossiê "Jornalismo e Identidade"

5.1. A comissão científica do Mejor 2013, em parceria com a comissão editorial da revista Brazilian Journalism Research (BJR), publicada pela SBPJor (Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo) identificará e selecionará artigos (textos completos) que, por sua pertinência ao tema do evento, relevância científica, explicitação do problema de pesquisa ou objetivo, adequação e atualização da bibliografia de referência, qualidade da reflexão teórica, explicitação e consistência da metodologia, poderão incluídos no dossiê 'Jornalismo e Identidade' da Revista BJR, prevista para ser publicada no segundo semestre de 2013.

5.2. Em caso de seleção, a tradução dos artigos para o português e o inglês ficará a cargo dos respectivos autores e deverá ser feito conforme o calendário que será previamente informado pela comissão editorial da BJR.

 

6. Jornada de Estudos "Análise de terrenos diferenciados nos estudos sobre o jornalismo"

                Está incluída na programação do evento a realização de uma jornada de estudos Análise de terrenos diferenciados nos estudos sobre o jornalismo. O evento será organizado pela Réseau d'Études sur le Journalisme (Rede de Estudos sobre o Jornalismo), com a participação de convidados internacionais. O objetivo da jornada de estudos é promover uma discussão metodológica e interdisciplinar sobre as possibilidades de comparar e analisar terrenos diferentes na pesquisa jornalismo. A partir da colaboração de pesquisadores de diferentes países, busca-se avançar nas discussões sobre as vantagens e limitações de se produzir estudos comparados entre realidades nacionais e regionais, entre suportes midiáticos ou análises diacrônicas sobre períodos históricos distintos. A organização da jornada está sob a responsabilidade do Prof. Dr. Fábio Henrique Pereira (Universidade de Brasília, Brasil) e da Profa. Dra. Florence Le Cam (Université Libre de Bruxelles, Bélgica)

 

7. Contato da Organização do Colóquio

7.1 A organização do Mejor 2013 está coordenada por Kênia Maia (UFRN), presidente da comissão organizadora, e Fábio Henrique Pereira (UnB), presidente da Comissão Científica.

7.2 A comissão organizadora do Mejor 2013 pode ser contatada pelo e-mail coloquiomejor2@gmail.com.

7.3 Mais informações e os anais do Mejor 2011 estão disponíveis no site www.mejor.com.br

__._,_.___

OFICINA DE DRAMATURGIA

OFICINA DE DRAMATURGIA

A SECULT-PE, através da Coordenadoria de Artes Cênicas, em parceria com a Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), promove em Recife, a OFICINA DE DRAMATURGIA, que oferece 20 v
agas gratuitas para profissionais de Artes Cênicas e áreas afins. As aulas, ministradas por Rodrigo Dourado, Mestre em Comunicação e Doutor em Artes Cênicas, serão realizadas de 19 a 24 de novembro, no Espaço Pasárgada (Rua da União, 263, Boa Vista - Recife|PE).

Encaminhar ficha de inscrição devidamente preenchida e currículo com, no máximo, duas páginas, para o e-mail artescenicas@secult.pe.gov.br, do dia 05 (2ª feira) até às 23h59 do dia 13 de novembro (3ª feira).

Os inscritos receberão confirmação de sua vaga, através de e-mail, até o dia 14 de novembro (4ª feira).

Ficha de inscrição em anexo e disponível no site:www.fundarpe.pe.gov.br

SERVIÇO:

Oficina de Dramaturgia

Ementa:
Discurso Dramático: conceitos. Dramático ou teatral? Aproximações e diferenças. Elementos estruturais do drama: a rubrica, os diálogos, a personagem, a ação. As relações entre a virtualidade do texto dramático e a concretude da cena. Análise de obras dramatúrgicas. Criação de textos.

Dias e horários:
19 a 23 de novembro - 18h30 às 21h30
24 de novembro - 14h às 19h

Espaço Pasárgada
FUNDARPE/DGEC
Rua da União, 263, Boa Vista
F. 3184-3165
www.espaco-pasargada.blogspot.com

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

V Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia

V Congresso da APA

A APA orgulha-se de comunicar que a chamada para painéis para o V Congresso, que terá lugar em Vila Real de 9 a 11 de Setembro de 2013, se encontra aberta. Nesta edição, o congresso terá como lema "Antropologia em Contraponto". Poderão encontrar toda a informação necessária sobre o congresso e instruções para submeter propostas no novo site do congresso:

http://www.apantropologia.org/congresso2013

http://www.apantropologia.org/congresso2013/tema-do-congresso/

http://www.apantropologia.org/congresso2013/call-for-panels/

 

O Call for Panels encontra-se aberto até 20 de Dezembro de 2012.

Leia o nosso Tema do Congresso para conhecer a proposta geral da APA para este congresso.


Call for papers – Revista Configurações 10 “Políticas Públicas”

Call for papers – Revista Configurações 10 “Políticas Públicas”

Confrontados com uma crise sistémica do capitalismo, cujos efeitos na periferia europeia se acentuam de forma cada vez mais intensa e aparentemente imparável, a discussão acerca do papel das políticas públicas assume uma renovada relevância. Instrumento privilegiado dos Estados para a definição de agendas públicas orientadas para os mais diversos fins visando o bem-estar social – v.g., o desenvolvimento económico, a melhoria de áreas sociais como a saúde e a educação, o incentivo à cultura e às artes, a redução das desigualdades sociais e a garantia do acesso por parte dos cidadãos aos bens públicos –, a análise e discussão sobre as políticas públicas não pode ser realizada fora do campo da luta política e ideológica e das escolhas daí decorrentes. Conquanto os discursos dos actores políticos possam coincidir, em termos retóricos, no elogio de políticas e agendas públicas vinculadas à defesa do bem‑estar geral e da melhoria das condições de vida, estamos perante um campo onde o confronto político é particularmente agudo. Isto é, a acção política é guiada por interesses e compromissos que se repercutem em distintas orientações para a definição das agendas públicas e do papel do Estado, da iniciativa privada e da sociedade civil.

Face a uma resposta à crise que em Portugal assenta em soluções neoliberais que, reflectindo a atrofia do Estado a nível social, aprofundam a presença crescente dos privados e das organizações do Terceiro Sector no planeamento e implementação de políticas públicas, é pertinente que a análise deste contexto sócio-político se faça sem perder de vista que existem outras respostas em curso, mormente em outras geografias, como a latino-americana, que importa conhecer e confrontar com as que estão a ser aplicadas nos países europeus periféricos.     

Serão bem acolhidos artigos que, alicerçados em diferentes enfoques disciplinares, teóricos e metodológicos, proporcionem ao leitor a ampliação da sua capacidade crítica e conhecimento comparado acerca das políticas públicas, em especial em torno dos seguintes tópicos:

(i)    Políticas públicas, soluções políticas e perspectivas teóricas;

(ii)   Entre o público e o privado: Estado, parceiros e a construção de políticas públicas;

(iii)  Políticas públicas, a produção do bem-estar e a redução das desigualdades: articulações e dilemas.

 

Prazo de envio:

Os artigos a submeter a avaliação deverão ser enviados até 15 de Dezembro de 2012, ao cuidado de Ângela Matos para o endereço cics@ics.uminho.pt .

 

Instruções para os autores:

Os artigos submetidos para publicação passarão por uma triagem inicial por parte da Comissão Editorial da revista que decidirá da sua pertinência face ao âmbito temático do número em causa. Os artigos enquadráveis no número temático serão subsequentemente submetidos ao parecer de dois revisores científicos especialistas na área em causa, em sistema de blind refereeing.

Os textos submetidos para publicação devem conformar-se às seguintes normas:

1. Todos os textos devem vir acompanhados da identificação do(s) autor(es), respectiva filiação institucional e endereço(s) de e-mail.

2. Os textos não devem exceder, no total e exceptuando os resumos, 35.000 caracteres, incluindo espaços.

3. Cada artigo deve ser acompanhado de três resumos (em português, em inglês e em francês), gravados em ficheiro autónomo, com o máximo de 750 caracteres por resumo. O resumo em português deve integrar o ficheiro principal (corpo do artigo).

4. Os ficheiros, em formato Word, devem ser enviados por correio electrónico.

5. Todas as citações devem ser traduzidas.

6. Todos os originais devem:

a) Conter a versão final do texto, pronta a publicar, devidamente revista de gralhas;

b) Vir acompanhados de um título;

c) Conter a indicação de 4 ou 5 palavras-chave, indicadas a seguir ao resumo e nas três línguas indicadas.

7. Na composição e formatação dos textos deve ter-se em conta as seguintes
orientações:

a) A utilização de, no máximo, dois níveis de titulação, sem numeração nos casos da Introdução e Conclusão e com numeração árabe para o corpo do texto;

b) As transcrições deverão abrir e fechar com aspas, quando não excederem 4
linhas; no caso de citações mais longas, estas devem ser entalhadas e transcritas sem aspas;

c) Os vocábulos noutras línguas que não a portuguesa devem ser formatados em itálico;

d) Os elementos não textuais devem ser organizados em quadros, gráficos ou
figuras, identificados com numeração árabe contínua para cada um destes tipos de elementos;

e) Nas chamadas de notas, que devem ser colocadas em rodapé, devem utilizar-se apenas números sem parênteses;

f) As referências bibliográficas devem ser indicadas entre parênteses no corpo do texto, de acordo com o seguinte padrão: (Rodrigues, 1993: 103); (Costa e
Almeida, 1991: 80-84); (Greenwood, 1997a); (Greenwood, 1997b);

g) No final do artigo, deve incluir-se a lista de obras citadas, apresentada da
seguinte forma:

- APELIDO, nome próprio (ano), Título do livro, local de edição, editora.

- APELIDO, nome próprio (ano), “Título do artigo”, Título da revista, volume (número), número da primeira e última páginas.

- APELIDO, nome próprio (ano), “Título do artigo/ capítulo”, in Nome próprio
e Apelido (org.), Título da colectânea, local de edição, editora, número da primeira e última páginas.

- Documento na Internet: APELIDO, nome próprio (ano), Título do documento [Online], disponível em: endereço [consultado em: data].

- Locais na Internet e páginas pessoais ou de instituições: Nome [Online], disponível em: endereço [consultado em: data].

- Publicações em revistas na Internet: APELIDO, nome próprio (ano), “Título do Artigo”, Título da Revista, volume (número), número da primeira e última páginas [Online], disponível em: endereço [consultado em: data].

Seminário Internacional Sociologias do Século 21

Seminário Internacional Sociologias do Século 21


Entre os dias 28 e 30 de novembro ocorrerá na Universidade Federal do Rio Grande do Sul o Seminário Internacional Sociologias do Século 21, promovido pelo Programa de Pós Graduação em Sociologia da Universidade. O evento integra a programação de comemoração aos 40 anos do Programa e tem como objetivo debater as transformações socioeconômicas dos países que compõe o BASIC (Brasil, África do Sul, Índia e China). Entre as atrações do seminário, estão as participações de sociólogos da China, Índia e África do Sul, além de renomados pesquisadores brasileiros, que irão expor parte do mais atual conhecimento sociológico.

Mais informações em www.sociologias21.org.br

Instituição responsável pela organização: Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Local do evento: Campus Central e Campus do Vale da UFRGS. Campus Central - Salão de Atos II (Av. Paulo Gama, 110, Centro, Porto Alegre, RS, Brasil CEP 90040-060) Campus do Vale - Auditório do ILEA (Av. Bento Gonçalves, 9500, Prédio 43322, Bairro Agronomia, Porto Alegre, RS, Brasil CEP 91509-900). Site: www.sociologias-21.org . Telefone: Organização geral:  (51) 3308 6635  / Assessoria de Imprensa:  (51) 9345 7878 . E-mail: sociologiasdoseculo21@gmail.com.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Concurso de Videoarte 2012




 

 

 

 Lançamento do Concurso de Videoarte 2012

 

Com a finalidade de incentivar a produção audiovisual de caráter experimental, a 6ª edição do Concurso de Videoarte selecionará duas propostas para realização de obras de videoarte, concedendo a cada projeto selecionado prêmio no valor de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais).

 

    As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas, pelos proponentes ou seus procuradores, na Coordenação de Artes Visuais da Fundação Joaquim Nabuco, no período de 9 de novembro a 7 de dezembro de 2012, das 9h às 12h e das 14h às 18h, no endereço abaixo.

 

Também será admitido o envio de inscrições pelos correios, com data de postagem até o 7 de dezembro de 2012.

 

A divulgação dos projetos vencedores será feita no site da Fundação Joaquim Nabuco e no Diário Oficial da União.

 

O Edital contendo todas as informações necessárias à participação no Concurso de Videoarte da Fundação Joaquim Nabuco está disponível no site: www.fundaj.gov.br

 

Data limite para envio de propostas: 7 de dezembro de 2012.

 

 

Informações e Inscrições:

Coordenação de Artes Plásticas

Diretoria de Memória, Educação,Cultura e  Arte - MECA

Fundação Joaquim Nabuco

Rua Henrique Dias, 609 - Derby - Recife - PE - 52.010-100

Telefone: (81) 3073.6691

De 2ª a 6ª feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.

Endereço eletrônico: artes@fundaj.gov.br

 

 

Requisitos gerais para inscrição, conforme o Edital:

 

v     Poderão participar pessoas físicas residentes no Brasil.

 

v     Os concorrentes deverão apresentar o pedido de inscrição dos Projetos mediante requerimento dirigido à Fundação Joaquim Nabuco, no endereço acima, contendo dois envelopes lacrados, um destinado ao Projeto Técnico e outro à Documentação de Habilitação.

 

v     O Projeto Técnico deverá conter os seguintes itens, preenchidos no formulário específico:

 

I. Título do Projeto

II. Sinopse do Projeto com no máximo 3 (três) laudas;

III. Roteiro com divisão por Seqüências e os Diálogos desenvolvidos, quando couber;

IV. Orçamento;

V. Plano de Produção.

 

v     Cada concorrente só poderá inscrever 1 (um) projeto. Serão consideradas habilitadas as pessoas físicas que apresentarem a seguinte documentação:

 

I. Comprovante de que reside há pelo menos dois anos no Brasil;

II. Declaração de Compromisso do concorrente em complementar os recursos de produção da obra de videoarte proposta, na hipótese de os custos excederem o valor do Prêmio estabelecido, sem prejuízo dos prazos fixados neste Edital;

III. Currículo resumido do concorrente, com no máximo 1 (uma) lauda;

IV. Cópias autenticadas da Carteira de Identidade (RG) e do Cadastro de Pessoa Física (CPF);

V. Certidão Conjunta da Receita Federal e Dívida Ativa da União.

VI. Declaração formal e expressa de que o projeto apresentado é inédito, informando estar o concorrente de acordo com este Edital e com as decisões da Comissão Julgadora quanto aos resultados da seleção.

 

 

 

 


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Chamada de Trabalhos - Oculum Ensaios: Revista de Arquitetura e Urbanismo

 

 

 

Os artigos, resenhas e entrevistas enviados a Revista OCULUM ENSAIOS devem ser originais e não terem sido publicadas ou encaminhadas para outro meio de divulgação. Eles devem ser enviados por e-mail (sbi.ne_oculumensaios@puc-campinas.edu.br) e em breve via website da revista.

 

1.            Serão aceitas contribuições nas seguintes formas:

 

a)   Artigos

(trabalhos científicos originais e inéditos)

 

Deverão ser apresentados em formato A4, com espaço entrelinhas 1,5, letra Arial 11; conter entre 10 e 15 páginas de 30 linhas e 70 toques (até 25 mil caracteres), incluindo-se referência, resumo e abstract (até 1.500 caracteres) e de quatro a seis palavras-chave e keywords. Para fotos e ilustrações o limite é de até 7 por artigo.

 

b)   Resenhas

(publicações recentes originais e inéditas)

 

Poderão ter de 1 a 3 páginas (máximo 6 mil caracteres). O autor da resenha deve enviar a capa da obra resenhada digitalizada em alta resolução.

 

c)   Entrevistas

(profissionais, docentes e pesquisadores de área de reconhecida competência artística, técnica e/ou científica)

 

Poderão ter de 3 a 5 páginas (máximo 10 mil caracteres). O autor da entrevista deve enviar conjuntamente carta de aceite do entrevistado e foto do mesmo, do momento da entrevista, digitalizada em alta resolução.

 

2.   Forma de apresentação dos trabalhos:

 

Os originais deverão ser entregues conforme as seguintes indicações:

 

a)    Em formato WORD 6,0 ou superior, nos idiomas: português, espanhol, inglês e francês (não serão aceitos artigos em PDF);

§      Os trabalhos devem estar redigidos em estilo neutro (terceira pessoa), de maneira clara e bem estruturada, sem auto-referências evidentes ao trabalho do(s) próprio(s) autore(s);

§      Recomenda-se revisar a ortografia e a pontuação, evitando erros tipográficos.

 

b)    No caso de imagens eletrônicas, deverão ser entregues em arquivo separados e estar em alta resolução a partir de:

§      400 DPI, formato tiff ou jpeg

§      tamanho mínimo 10 cm de largura e máximo de 16 cm

§      mapas serão enviados em escala de cinza e a cores; eles serão publicados, na versão impressa, desde que estejam com legendas nítidas e seja possível a visualização e identificação na escala de cinza; poderão ser publicados em sendo os custos por conta do autor.

 

c)    Tabelas, Quadros e Gráficos deverão ser elaborados e enviados em Excel.

§      As palavras Figura, Tabela, Quadros e Anexo que aparecerem no texto deverão ser escritas com a primeira letra maiúscula e acompanhadas do número (Figuras, Tabelas, Quadros e Anexos) a que se referirem. Os locais sugeridos para inserção de figuras e tabelas deverão ser indicados no texto. Os títulos deverão ser concisos. Informar o local do estudo e o ano.

 

d)   Folha de rosto com identificação dos autores, contendo:

§      Título completo no idioma do artigo (português, espanhol, inglês ou francês);

§      Título completo em português, quando necessário, compatível com o título do idioma;

§      Título completo em inglês, compatível com o título do idioma do artigo;

§      Sugestão de título abreviado para cabeçalho, não excedendo cinco palavras;

§      Nome de cada autor, por extenso, seguido por titulação e afiliação institucional. Não abreviar os prenomes;

§      Todos os dados da titulação e afiliação deverão ser apresentados por extenso, sem nenhuma sigla;

§      Indicação dos endereços completos de todas as universidades às quais estão vinculados todos os autores;

§      Indicação de endereço para correspondência com o editor para a tramitação do original, incluindo fax, telefone e endereço eletrônico.

 

3.   Outras informações

 

a)    Todo material recebido será submetido a dois revisores de reconhecida competência na temática abordada, aos quais cabe a responsabilidade de recomendar ou não a publicação, considerando-se, para tanto, a qualidade, a pertinência do tema face à linha editorial e o espaço disponível.

b)    Serão publicados apenas artigos inéditos, exceção feita à republicação de textos clássicos, conforme projeto editorial.

c)    Ao submeter o trabalho o(s) autor(es) deve(m) incluir uma declaração assinada em que afirma(m) que o texto é inédito em português, e que autoriza(m) a PUC-Campinas a publicá-lo na Internet.

d)    Os autores terão direito a dois exemplares do fascículo em que estiver sido publicado o trabalho.

e)    A submissão de trabalhos deverá ser feita mediante o envio de uma cópia por meio eletrônico para <sbi.ne_oculumensaios@puc-campinas.edu.br>:

 


 

Revista OCULUM ENSAIOS

Campus I | Rod. Dom Pedro I, Km 136

Prédio da Antiga Reitoria | Sala 8

Parque das Universidades | Campinas,SP | Brasil

CEP: 13086-900

E-mail: sbi.ne_oculumensaios@puc-campinas.edu.br

Web: http://www.puc-campinas.edu.br

Fone/Fax: 55 (19) 3343-7401